meu perfil no deviantART meu Tegaki E

Registrada como Camila, atende por Cahh (que é pronunciado como Cá, e sua grafia diferente é na verdade sem motivo algum), ou até mesmo por Camy, seu apelido antigo. Preferiria chamar-se Danielle, e pretende chamar seu filho de Dante. Fará 16 anos em nove do nove do nove, já que nasceu em 1993.
+ mais...
meu humor no imood.com;

  

Rir; Música; Amigos; Desenhar; Ler; Escrever; Computador; Internet; Língua Inglesa; Mangá; Anime; Criminal Minds;Não ter que pensar (muito); Bandas desconhecidas *indie* e bandas pop que já acabaram; Sapos; Dias de chuva; Ser aceita, estranha como sou; Suco de maçã.

  

Não ser ouvida; Sol demais; Internet caindo; Bebidas alcoólicas; Cigarro; Drogas; Funk; Química; Preconceitos; Telefone; Experimentar roupas; Espinhas; Coisas não resolvidas; Surpresas; Interrupções; Colorir com canetinhas; Queimar a língua com comida.

  

Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009


  

vinte e seis/maio
17:41
feio.
água.
Jeevan.
滅びし煌きの都市 -
Yoko Shimura
rubens = doom.
ansiedade.
sozinha.
não estudando.

  


follow argonistically at http://twitter.com


  

O blog se chama Tailored Trouble por causa da música "Liar (It Takes One To Know One)", do Taking Back Sunday. Ele for criado no dia 31/07/08 por mim mesma, já que eu sentia a necessidade de me expressar através de palavras escritas (e também porque eu queria postar o que eu já tenho escrito em algum lugar).
+ mais...

  



  

Hospedagem: Blogspot
Personagens:
+
Yagami Raito/Light, Amane Misa, Ryuzaki Eru/L © Takeshi Obata & Tsugumi Ohba;
+ Sora, Kairi, Riku, Roxas, Axel, Demyx, Zexion © Tetsuya Nomura/Square Enix;
+ Uzumaki Naruto, Uchiha Sasuke, Haruno Sakura © Masashi Kishimoto.

Todo o restante do conteúdo é de minha autoria. © Cahh Fleck, 2008.


Não desisto tão fácil assim :)


Não, parece que eu ainda não desisti desse blog não. O único problema parece ser que todas as vezes em que eu na verdade penso em alguma idéia interessante e filosófica para escrever aqui, ela se esvai em menos de cinco minutos. Eu tinha planejado postar de novo há bastante tempo, já. Agora que eu consegui um tempinho de novo, com uma inspiração relativamente decente, é o momento em que eu estou esperando meu pai sair do computador dele para eu poder escanear meu desenho. Inspiração, como você é imprevisível. Cruzes.
Ah, e eu resolvi "paragrafar" as coisas aqui, porque tava bem confuso, mas parece que não funcionou. Droga.
Vamos ver. O quê podemos contar de novo... Aconteceu bastante coisa... Ah, sim. Eu coloquei óculos :D (nossa, que coisa ultrapassada já; já faz duas semanas que isso aconteceu.) Eles são bem legais, e pretos, e legais. Tá, eles são bem emos. Mas são bonitos, sim senhor(a). E eles tem coisinhas escritas e indecifráveis que parecem jornal no lado de dentro! E é feliz, porque só eu vejo :P E por todos esses (e outros) motivos, eu o nomeei Zexion. E ele veio com uma caixinha nem um pouco extravagante que é azul-esverdeada-mar por fora e laranja por dentro Oo Minha mãe disse que eram as cores-marca-registrada da Benetton, que é a marca da caixinha (sim, da caixinha, porque ela não tem relação nenhuma com os óculos, em termos de marca). E esta eu nomeei Demyx. Vocês conseguem notar como sou viciada obsecada fã? :// E isso tudo me fez perceber que eu tenho mais ou menos trinta Demyx'es e outros quinze Zexion's. GAH. Que ódio. Eu devia tentar ser mais criativa às vezes.
Por outro lado, os óculos me fazem ficar com mais cara de nerd ainda (palavras da Luana). O que não é tão bom assim. Mas que seja, porque se eu não usá-los eu não enxergo nada. Sabe, depois da primeira vez que a gente põe o óculos e realmente enxerga as coisas, é que a gente percebe como a gente é cego. É sério. Agora, por exemplo, eu estou sem os óculos. Se a tela desse computador estivesse um pouquinho mais afastada de mim, eu não veria muito bem o que eu estou escrevendo agora.
E, por sinal, falando em tela de computador: o laptop que eu encomendei pro meu aniversário já chegou! :D :D Ele é tããão lindo. Bom, linda na verdade, já que se chama Rosalina com sotaque no R (não perguntem). E ela é veeeeerde. Verde = PURE LOVE. Chegou esse sábado.
E falando em sábado (e aproveitando pra arrematar tudo o que é coisa de otaku que já contaminou esse post, e também pra dar mais uma "nova linha" já que esse post também tem muitas) eu fui no Anime-Z, no colégio Júlio de Castilhos em POA, junto com a Bruna, a Luana e o Vargas :) Foi tão divertido. Tá certo que as pessoas normais provavelmente não vêem graça nesse tipo de evento, mas para nós foi bem legal. Quer dizer, a pobre Bruna ficou meio perdida lá porque ela foi arrastada pra lá por nós, e ela ficava querendo se socializar com as pessoas que tinha lá (que absurdo, não?) ao invés de ficar só caminhando de um lado pro outro apontando pros cosplayers e gritando fangirlamente os nomes dos personagens, ou caminhando de um lado pro outro reclamando que não tínhamos dinheiro suficiente pra comprar uma plaquinha. Mas no final, em vez de comprar a tal da plaquinha, nós (leia-se: eu, a única além da Bruna que tinha dinheiro) compramos um colar/corrente de Keyblade-Oblivion 8D Foi, tipo, a realização de um sonho *exagera*³²¹³²¹ Eu queria por foto, mas tô com preguiça de tirar e passar pro computador. Ah, por falar em foto. Na sexta, um dia antes da convenção, eu carreguei a minha máquina digital pra poder tirar bastante foto. Adivinha só quantas eu tirei: UMA. É, uma só. Do mini-Near. Ele era tãão gordo. Valeu a pena. Eu queria ter ido de cosplay também, do Saïx, mas a minha maldita peruca veio errada. Eu cheguei a chorar. Parece tão pouco pra chorar, mas na verdade era mais frustração, mesmo. E sabe como é, eu não choro nas coisas importantes e fico guardando, e no final acabo transbordando por causa de coisas pequenas assim.
Sabe, eu estava planejando escrever uma coisa toda séria e emo aqui; de como eu sou uma pessoa que tende a sentir culpa e tal. Mas eu acho melhor deixar pra lá, afinal, eu já esqueci toda a reflexão que eu tinha feito a respeito disso. Pois é. Ao invés disso, vocês ganham um post tosco que só prova o quão obsecada eu sou por coisas com que ninguém se importa. Viva pra mim!
Agora, me dêem licença enquanto eu volto a dar os últimos retoques no desenho-pra-escanear enquanto assisto a videosinhos bizarros e traumatizantes no YouTube. Vou-me *;

Marcadores: , , ,

  

Doe títulos à campanha "Cahh não tem criatividade" hoje mesmo!

...No entanto, pedimos que não use a nossa linha direta, já que a Cahh também tem aversão a telefonemas. :/
Blábláblá. Não deu nem dois dias direito e eu já estou aqui de novo. Isso é que é motivação. Acho que posso me acostumar com isso. Pena que eu não tenha tanto dessa reservada para a escola, já que nós só tivemos dois dias letivos e eu já estou cansada. Fazer o quê, é a vida. E a vida tem uma relação bipolar de amor e ódio comigo :D
Na verdade, eu quero mesmo é postar os textos que eu já tenho escrito, mesmo que sejam meio toscos (é, só meio. alguém tem que me elogiar, não? quem melhor do que eu mesma? resposta: qualquer um ¬¬). E, perdoem-me, este aqui é fanfiction, de Kingdom Hearts, "dedicada" ao nobody Demyx. Bom, pseudo-fanfiction. Porque não tem bem uma história por trás, é só um rascunho bizarro de uma idéia que eu tive no banho. Mas eu acho que vocês não querem saber como surgiu, já que é uma história bastante aleatória nada a ver. Muito bem, pulemos esse passo; vamos direto à parte interessante (isso depende do ponto de vista de cada um, né). Este aqui é um oneshot/drabble (fic de um capítulo/rascunho) que se chama "Demy-kun e seu amor pela música S2". É, esse é o título com o qual eu o salvei no Word, com o S2 no final e tudo (que a propósito é para ser um coração meio torto, porque o programa não quis aceitar aquele de lado, que o Blogger também não aceita, sabe?) >_> Eu estou dizendo, eu não sei dar títulos para as coisas. Ah, e não podemos esquecer também de que o texto em questão não se passa no universo do jogo, mas sim no nosso universo, mesmo. Assim sendo, Demyx vai à escola.

+ clique para ler;


...Ah, e não me perguntem por que eu coloquei o Zexion como melhor amigo do Demyx... Foi provavelmente porque ele vem logo depois no meu Top 13 (e o Axel não era emo o suficiente para dizer aquelas coisas xD), além do fato de que, como suas personalidades são completamente opostas, na minha visão eles teriam a possibilidade de se tornarem amigos. Eu sei que não tem diálogo, nem nada, mas eu até que gostei. Apesar de ser um assunto bem... excêntrico, podemos dizer, até que ficou legal.
Eu sei que eu sempre escrevo umas novelas aqui (nããão, talvez sejam só óperas) e que dá muita preguiça de ler, e eu peço desculpas por isso. Mas, não querendo soar desesperada e tal, COMENTEM, POR FAVOR! D: (so much for not sounding desperate. e eu gosto de parenteses.) Eu já quero agradecer à Cons por comentar. E eu também sei que eu não deveria esperar nem um comentário aqui, por vários motivos (blog muito novo, não está em nenhuma lista de busca, etc.) e eu até tinha chegado a um acordo comigo mesma que não ia ficar triste de não ter comentários, afinal, eu estou, de certa forma, escrevendo para mim, não é? Pois é. Acontece que eu não cumpri o acordo. Tsc, tsc *balança a cabeça em desaprovação*. É que é meio chatinho dedicar uma parte do meu tempo escrevendo aqui se ninguém vai ler. Mas, novamente, é só meio. Então eu acho que agüento :) Ahem, por tanto, não ignorem meu pedido nem um pouco desesperado acima, tá?

Marcadores: , , ,

  

Eu não tenho um título.

*suspira* Pois é. Como eu disse, eu voltei. Sabe, isso é bastante novo para mim. Sentir vontade de postar. De escrever, é mais freqüente. Mas de postar, nunca. Nunca senti vontade de contar como foi meu dia, para ninguém. Nunca vi necessidade. Mas farece que isso está mudando. Bom sinal :)
Anteontem eu fui no oculista, porque eu estava com dificuldades para enxergar o quadro, e eu ficava enxendo o saco de quem sentava perto de mim (leia-se, Luana, provavelmente) para ler o quadro pra mim. Mas é óbvio que não funcionava. Aí eu incomodei a minha mãe até ela me levar no médico. E no final eu estava certa, eu tinha um pouco de miopia e astigmatismo, mais no olho esquerdo (que coisa emocionante de se contar, não é?). Mas eu fiquei feliz de saber que eu já tinha percebido isso. É raro eu notar alguma coisa da minha saúde, por isso semrpe que eu vou no médico e ele/ela faz perguntas pra mim, eu não sei responder, e fico olhando para a minha mãe, balbuciando começos de frases.
Mas, então. Acontece que ele (o médico) colocou uns pingos três litros de colírio nos meus olhos (ou o quer que seja que ele use para dilatar as pupilas) e eu fiquei meio cega. Ele disse que isso iria acontecer. Mas foi engraçado, eu fiquei totalmente desnorteada. E depois de ir no oculista, eu tinha combinado de me encontrar no Mc'Donalds com as gurias (ahem. Gurias = Tizi, Luana, Bruna). E aí eu não conseguia ler nada. Isso, somado à minha incapacidade de ir comprar quase nada, eu pedi à Bruna pra comprar um Cheddar McMelt pra mim :D Eu dei o dinheiro, claro. Coitadas das minha amigas, têm que me agüentar.
Aí, a gente resolveu dar uma volta na quadra, porque a Bruna tava se sentindo meio mal, e o ambiente do Mc é meio sufocante, mas algumas de nós não podiam sair de perto do Mc *coff coff eu coff coff*. Ficamos falando de fóruns e cabelos de celebridades emos enquanto caminhávamos. Quando estávamos terminando a volta, e a Bruna já estava se sentindo melhor, alguém sugeriu de nós irmos no shopping. "O que os olhos não vêem, o coração não sente." xD Eu falei que precisava ligar para minha mãe para perguntar, com cara de preocupada (nossa, que responsável que eu sou). De repente, a Tizi diz "Mas olha, a tua mãe tá ali!", e eu viro, e não é que ela estava mesmo :0 Voltando do tal shopping. Perguntei a ela se podia ir, ela disse que sim.
Fomos ao shopping. Demos uma olhada na Renner (duas voltas na verdade)
e pegamos o horário do cinema, e a Bruna viu que estava passando o filme do Batman às 6h e 10min. Ficamos enrolando perto dos caixas eletrônicos por uns minutos (Bruna precisar tirar dinheiro) e resolvemos ver o filme. Avisamos nossos pais que o filme ia terminar tarde, afinal, eram duas horas e meia de filme! Tudo certo, tudo bom.
Compramos os ingressos, e sentamos nos banquinhos estofados perto das portas das salas para esperar. Quer dizer, a Luana sentou no chão, pois o pobre banquinho não comportava nós todas, MAIS o meu casaco gigante. Heh, logo veio um tio que trabalhava no cinema dizer pra ela sentar no banco também. Foi então que nós descobrimos que o filme do Batman não começava ás 6 e 10. A Bruna tinha lido errado, e só começava às 7h e 20min. Legal, ficamos esperando e conversando, lendo a revista com a Demi Lovato na capa e com a entrevista com o Tokio Hotel. A essa altura eu já não estava mais cega.
Enfim. Entramos e assistimos o filme, comentando em quase todas as cenas. Pobres outras pessoas que estavam compartilhando da mesma sala de cinema que nós. Tsc, tsc. O Coringa era bem bizarro e louco. Eu gostei dele. A cena mais hilária foi quando ele se vestiu de enfermeira (e olha que o filme não era pra ser engraçado). Why so serious? Ah, e não podemos esquecer que ele tinha um caso estranho com o Batman :x
Coitadas das pessoas menores de 16 anos na Holanda. O filme é de classificação 16+ lá, porque eles têm só três classificações diferentes, 6+, 12+ e 16+. Como o filme era de 13+, e passava de 12, eles colocaram no de 16. Sim, eu fiquei sabendo disso depois que eu li o blog de reclamação de uma menina da holanda no deviantART. Viu, dA também é cultura!
Sabe, eu acho que eu devia ter resumido mais tudo isso aí em cima, porque eu queria falr de ontem também. Ah, tanto faz. Isso aqui está enorme. E eu tenho o mau hábito de dizer isso todo post :)
De qualquer forma, ontem não aconteceu nada de mais. Eu vi um filme legal, chamado TinMan. Era tipo Oz no futuro (Oz, do Mágico de Oz, mesmo), com a trisneta da Dorothy. Ah, e eu também não vi motivo para chamar o filme de TinMan, já que tin man é o lenhador de lata, e ele não tinha uma parte tãããão importante no filme, assim. E o espantalho era o meu personagem preferido *-* Ele era tão gordo! Bom, com esse filme eu descobri que tenho gostos bastante estranhos. Porque era o Alan Cumming que interpretava >_> Mas realmente, não era pelo ator que eu gostei. É porque o personagem era bom, mesmo. E pelo amor de Deus! Ele tinha um zíper na cabeça! Não dá pra não amar um personagem assim (como eu disse, meus gostos são estranhos).
E sobre hoje, vou ser mais curta com as palavras: houve a festa de aniversário da minha avó aqui em casa, e da minha dinda/tia também, mesmo que o dia dela não fosse hoje ainda. E, como em todos os eventos familiares dos quais tenho que participar, senti-me meio deslocada :/ Eu gostaria de estar mais presente na minha família, mas eu não tenho assuntos. Eu ouço, apenas. Sem falar que é sempre churrasco. Eu odeio churrasco. Mas, ah. What doesn't kill you, only makes you stronger. E com certeza uma festa em família não vai me matar :)
Acho que da próxima vez, eu voltarei com alguma coisa tipo um texto, mais... Digamos, fictício para vocês/você/quemquerqueseja lerem. E lembrem-se: Jeg elsker vocês <3*

* "Jeg elsker deg": "Eu te amo" em norueguês.

Marcadores: , ,